Ilusão

Ilusão

Às vezes presa num corpo cansado
Com dores por todo lado,
Saio livre a flanar
Percorrendo céus e terra
Velejando pelo mar.
Persigo sonhos dourados
Que não pude realizar.
Dou voltas por esse mundo,
Sem pressa de retornar.
Passo por todos os lugares,
Percebo outros olhares,
Experimento sensações
De um viver tão diferente
De outro povo, outra gente,
Em tantas situações.
Ao mesmo tempo tão igual!
Tão palpável, repetido, tão real.
Inerente ao ser humano,
O riso e a dor,
Na busca por si mesmo
À procura de amor
Da ternura e do afeto
Necessário à vida sim,
Semelhante ou adverso
Acaso ilusório ou concreto
O caminho é o mesmo enfim.

Related posts:

  1. A ilusão comemorada
Esta entrada foi publicada em Poemas, Reflexões, Terceira Idade e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>