Defasagem: um fantasma oculto

Para ilustrar o tema contarei uma breve história, que com certeza levará à reflexão e, possivelmente à ação.

Pedrinho era um menino que apresentava um comportamento normal em todos os sentidos. Inteligente, falante, com uma oralidade acima da média, e com uma visão de mundo adequada para a sua idade. Lia e escrevia muito bem e sabia, como ninguém, defender seus argumentos.

Mas Pedrinho tinha um problema.

Esse problema se chamava MATEMÁTICA.

Em todas as provas que fazia na escola apresentava bons rendimentos, com exceção naturalmente de Matemática.

A mãe ficava muito angustiada, pois reconhecia que o filho tinha um raciocínio lógico satisfatório, e no entanto os resultados em termos de avaliação eram sempre frustrantes.

A culpa deve ser do professor que não sabe explicar.
Insatisfeita, trocava o Pedrinho de escola… e tudo se repetia.

Aulas particulares exaustivas em épocas de prova não resolviam a questão, Pedrinho não conseguia compreender os conteúdos e as notas ficavam sempre abaixo da média e o menino muito triste com os resultados obtidos.

Pedrinho aos trancos e barrancos concluíra o 7º ano, e já se sentia muito desconfortável com os conteúdos de matemática do início do 8º ano.

Até que um dia, um novo professor de aulas particulares intrigado com a situação resolveu investigar.
- Passou para o Pedrinho uma série de exercícios do conteúdo do 6º ano. O garoto tentou, tentou, levou muito tempo e conseguiu fazer muito pouco do que lhe fora proposto.
O professor então apresentou ao Pedrinho uma série de exercício do conteúdo do 5º ano. O menino tentou, tentou e também muito pouco conseguiu fazer de maneira correta.
O professor então apresentou ao Pedrinho uma série de exercícios do 4º ano. Nesses, o garoto se saiu um pouco melhor.
O professor estava disposto a chegar a uma conclusão e apresentou ao Pedrinho exercícios do conteúdo do 3º ano. O garoto resolveu as questões com bastante facilidade e ficou feliz com o resultado, após tantos fracassos.

E o professor feliz concluiu: Não adiantava trabalhar com o Pedrinho os conteúdos do momento, porque havia uma grande defasagem por trás de tudo. Em algum momento o aluno perdera o fio da meada e essa retomada de conteúdos possibilitou com que o aluno resgatasse as lacunas que haviam ficado para trás.

Dessa forma, o problema de Pedrinho foi resolvido.

Até mais,

Maria Viola Bona

Digite seu email e receba meus artigos!

 

Não há artigos relacionados

Esta entrada foi publicada em Dificuldade de aprendizagem e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Uma resposta a Defasagem: um fantasma oculto

  1. Lourdes Meyrelles disse:

    Adorei a historia,um bom professor é aquele que não tem medo do problema,mas busca ajudar seu aluno.
    um conteudo mal aprendido deixa o aluno sem base para o conteúdo seguinte,ficando ele perdido…as vezes o julgamos como se tivesse “deficet de aprendizagem”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>